Perfume

segunda-feira, 25 de maio de 2009 | Published in | 1 comentários

A vida como advogado tem algumas vantagens. Uma delas são as visitas aos fóruns, não que isso seja divertido ou prazeroso em si, mas por um motivo muito mais mundano: podermos ver algumas belas advogadas quase desfilando pelo fórum.
A pouco tempo aconteceu algo assim, que me chamou atenção. A minha audiência havia acabado de terminar e eu me dirigia ao meu carro pensando na pilha de processos que me esperava. Saindo do fórum eu vi algo que alegrou o dia frio de Brasília. Ela estava usando um terninho preto risca de giz, exatamente com a mesma estampa que o meu terno. Parecia que ela também tinha terminado uma audiência e se dirigia para o seu carro. Eu olhei para ela e vi a pele branca, e ao mesmo tempo que vi seu rosto pude sentir o cheiro de seu perfume que praticamente me enebriou ao ponto de me fazer fechar os olhos por uns instantes e apenas me concentrar naquele cheiro.
Ela seguiu seu caminho e eu a olhava alguns passos atrás. Devido ao vento, todo o cheiro do perfume dela vinha direto sobre mim ao ponto de que quando cheguei ao escritório ainda podia sentir aquele perfume em minha pele. O sol batendo nos cabelos castanhos, levemente vermelhos, somente servia pra me entorpecer mais ainda. Eu a via andar de forma desajeitada tentado adaptar o salta a calçada acidentada e as vezes se virava e dava pequenos pulinhos para evitar buracos, nestas horas eu podia ver seu rosto quando se virava, e os óculos de armação bem fina deixavam-na mais bonita.
Caminhamos por um pequeno espaço de tempo, somente da saída do fórum até o estacionamento, cerca de 50 metros, que se tornaram um dos 50 metros mais prazerosos que vivi. Ela sempre em frente comigo logo atrás. No fundo da minha mente eu a admirava intensamente, ela possuía aquela lascívia que as mulheres possuem somente quando não pretendem seduzir, afinal ela estava vestida para o trabalho e mesmo assim fez com que eu não visse mais nada, apenas a advogada de terninho listrado a minha frente. Por mim o mundo poderia ter acabada ali mesmo e chegaria no inferno sorrindo apenas com a lembrança dela e o seu perfume impregnado em mim.
Por fim, como era de se esperar, ela chegou ao carro dela e minha longa caminhada a admirando tinha chegado ao final. Passei por ela, ainda sentindo o seu perfume, e não resisti, olhei para trás, diretamente nos olhos dela. Nessa hora, ela me sorriu, e com aquele sorriso ela me disse que sabia que eu a estava observando, com aquele simples sorriso ela entendeu tudo que se passava na minha mente, tudo que eu não disse e o tudo que se passou. Eu apenas sorri de volta, ainda meio bobo e ainda meio tonto, sem saber o que fazer. No fim, apenas me virei, segui meu caminho e entrei no meu carro para voltar pro escritório. Contudo, após ter visto aquele simples sorriso eu podia ter certeza de que aquele seria um ótimo dia.

comentários

  1. Thaina says:
    26 de maio de 2009 09:37

    Deviam te contratar como roteirista de comercial de perfume! hehehe
    :P

  2. Thaina says:
    26 de maio de 2009 09:37

    Deviam te contratar como roteirista de comercial de perfume! hehehe
    :P